quarta-feira, 12 de junho de 2013

Tá Lido #2 - O Festim Dos Corvos – As Crônicas De Gelo E Fogo – Livro 4, George R.R. Martin

* Esse texto foi originalmente publicado no meu outro blog no dia 2 de janeiro de 2013.

Como descrever um livro que você ama e odeia ao mesmo tempo?

Adoro Martin, acho formidável o mundo de Westeros, das terras para lá da Muralha e as Terras Além do Mar de Verão, a narrativa e a construção dos personagens, as intrigas e os assuntos polêmicos abordados de forma tão natural e por vezes descarada.
O começo do livro descreve intrigas da corte, joguinhos de poder e como as coisas ficaram depois da guerra, pra mim vêm daí o nome “O festim dos corvos”, já que os corvos se alimentam das carcaças de homens que um dia lutaram pra proteger seus senhores. Mas também deve estar relacionado com a carniça da corte, a sujeirada, as peças que são usadas em favor dos interesses dos mais poderosos e que ficam com o resto desses mesmos senhores.
Nesse livro passei a sentir certo carinho pelo Sor. Jaime e um desprezo mais profundo ainda pela Sua Majestade Cersei Lannister, com sua ambição desenfreada e sede de poder, usando as pessoas em seu próprio interesse. Será que Martin é justo e ela terá o que merece? Ou conseguirá um acordo qualquer devido ao seu título. Tomara que ela prove do seu próprio veneno e cai em desgraça, não é maldade de minha parte, ela é que merece sofrer.
E os Starks e o Snow? Ficaram bem apagadinhos nesse volume, que conta mesmo é a vida dos Lannisters e afins, estejam eles no rochedo, em Dorne ou em Porto Real. Pobre Reizinho que vive cercado de interesseiros, sendo que a pior é a própria mãe, sua esposa, mais velha e sem poder nenhum sobre ele, age como coadjuvante da trama e não aparece muito.
Gosto mesmo da forma de manipular nossos sentimentos pelos personagens, ora amamos, ora odiamos, passamos a amar uns e odiar outros. Como exemplo Sor Jaime me conquistou, dizem que as mulheres gostam dos canalhas, mas eu passei a gostar mais dele depois de ver, ou melhor, ler, gestos cavalheirescos e certa admiração pela donzela de Tarth, que deixou uma forte impressão ou causou certa mudança no Regicida. Já Arya Stark, que foi uma das minhas personagens favoritas no começo dessa saga, mas se tornou chata e sem graça. Talvez menos que sua irmã Sansa (ou melhor, Sonsa), que parece começar a entender um pouco como a corte funciona e sair do seu mundo encantado de donzelas e cavalheiros, indo de encontro a uma rede sem fim de intrigas e fofocas, de peças e jogadores, no jogo de xadrez que é o poder e o trono.
Martin faz o justo (Ned Stark) ser morto por traição, o bêbado (Rei Robert) morto pela bebida, o orgulhoso (Tywin Lannister) ser morto na latrina, o covarde (Samwell Tarly) se tornar o Matador dos Outros e isso faz com que cada vez mais eu me envolva e devore todos os livros das Crônicas de gelo e fogo.
Vale o esforço de ler as 200 primeiras páginas (chatas) sobre as intrigas e muita informação que do meu ponto de vista eram desnecessárias, pra depois se deliciar com uma história mais fluida e reveladora sobre alguns personagens e a história de Westeros.


________________________________***_______________________________

O Festim Dos Corvos – As Crônicas De Gelo E Fogo – Livro 4

Edição: 1
Editora: LeYa Brasil
Ano: 2012
Páginas: 644
Tradutor: Jorge Candeias
Autor: George R.R. Martin

Sinopse: Continuando a saga mais ambiciosa e imaginativa desde O Senhor dos Anéis, As Crônicas de Gelo e Fogo prosseguem após o violento triunfo dos traidores. Enquanto os senhores do Norte lutam incessantemente uns contra os outros e os Homens de Ferro estão prestes a emergir como uma força implacável, a rainha regente Cersei tenta manter intacta a força dos leões em Porto Real. Os jovens lobos, sedentos por vingança, estão dispersos pela terra, cada um envolvido no perigoso jogo dos tronos. Arya abandonou Westeros rumo a Bravos, Bran desapareceu na vastidão enigmática para além da Muralha, Sansa está nas mãos do ambicioso e maquiavélico Mindinho, Jon Snow foi proclamado comandante da Muralha mas tem que enfrentar a vontade férrea do rei Stannis e, no meio de toda a intriga, começam a surgir histórias do outro lado do mar sobre dragões vivos e fogo… Quando Euron Greyjoy consegue ser escolhido como rei das Ilhas de Ferro, não são só as ilhas que tremem. O Olho de Corvo tem o objetivo declarado de conquistar Westeros. E o seu povo parece acreditar nele. Mas será ele capaz? Em Porto Real, Cersei enreda-se cada vez mais nas teias da corte. Desprovida do apoio da família e rodeada por um conselho que ela própria considera incapaz, é ainda confrontada com a presença ameaçadora de uma nova corrente militante da Fé. Como se desenvencilhará de um tal enredo? A guerra está prestes a terminar, mas as terras fluviais continuam assoladas por bandos de salteadores. Apesar da morte do Jovem Lobo, Correrrio ainda resiste ao poderio dos Lannister, e Jaime parte para conquistar o baluarte dos Tully. O mesmo Jaime que jurara solenemente a Catelyn Stark não voltar a pegar em armas contra os Tully ou os Stark. Mas todos sabem que o Regicida é um homem sem honra. Ou não será bem assim?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!