sábado, 31 de agosto de 2013

Tá lido #18 - O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry


O Pequeno Príncipe

Autor:
Antoine de Saint-Exupéry
Páginas: 96
Editora: Agir
Avaliação Pessoal: *****
Sinopse: Livro de criança? Com certeza!
Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi.
O pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância.De repente retorna os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia-a-dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro,o homem-menino.





~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~~~°°~~

Sabe aquele livro que vai encantar qualquer pessoa que ouvir ou ler a história vai gostar? De adultos, crianças, até mesmo idosos e eu tenho a impressão que  à qualquer hora que eu pegar esse livro ele vai me deixar emocionada e vai alcançar a minha criança interior.


A ingenuidade, a simplicidade e a delicadeza desse livro são impressionantes, marcantes e ao mesmo tempo muito nostálgicas, me deu vontade de ser criança novamente e medo de ser um daqueles adultos que sempre criticam as crianças, me afastar da inocência e da beleza de ser quem realmente é e dar valor ao que realmente importa.

Isso porque quando somos crianças nos preocupamos com coisas que fazem a diferença para o nosso mundo, coisas que não sabemos e procuramos as respostas, pensando bem somos mais filósofos que quando adultos e nossas preocupações são bem mais existenciais, nos preocupamos com porque o céu é azul, com de onde viemos, se existe o céu dos cachorros e porque a porta se chama porta, entre outras questões mais importantes que as dos adultos, que são por exemplo com vou pagar a fatura do cartão de crédito, como vou fazer janta hoje se eu estou tão cansada e etc.

Pensando assim até da vontade de voltar a ser criança e parece que somos bem mais maduros do que quando nos tornamos gente grande, sem imaginação e que vive num mundo corrido, onde nem temos tempo de sorrir pra pessoa que senta do nosso lado no metrô. Pois é decidi, quando eu crescer quero ser criança...

E acho que era realmente isso que o autor queria, esse resgate da criança interior, da fé na amizade e da (re) busca do que realmente tem importância, do que te faz feliz e de quem te importa. Não adianta dar a volta na galáxia se você não consegue olhar para si mesmo e perceber o lugar pra onde deve ir e com quem.

Acho que falar sobre esse livro é fácil e difícil, pois ao mesmo tempo que cada um vai interpretar ele de uma forma e de acordo com o seu momento, a mensagem é atemporal e universal, simples e complexa, ou seja, você vai ler rápido, mas a leitura vai permanecer em você por toda a vida e em algum momento você se lembrará da passagem que mais te tocou e irá sentir a pequenina mão do Pequeno Príncipe te conduzir para um mundo no qual se criança é ser mais maduro e de certa forma mais inteligente do que qualquer adulto.

A minha frase:



* PS: Essa edição possui ilustrações lindas, feitas em aquarela pelo próprio autor.

* PPS: Não quis entrar muito em detalhes sobre o livro para não estragar, esse livro é daqueles que vale a pena ler no escuro, sem saber nada da história, por isso achei melhor escrever sobre minhas impressões e o que eu senti lendo esse livrinho, :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!