domingo, 29 de setembro de 2013

{Bel} Impressões de Leitura #22 ~ As Vantagens de Ser Invisível (Stephen Chbosky)

Título: As Vantagens de Ser Invisível
Título Original: The Perks of Being a Wallflower
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Número de páginas: 224

Skoob :: Goodreads

Avaliação: 5 estrelas!

Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.


Esse livro foi bem comentado depois que o filme foi lançado. E eu, como boa curiosa que sou, já fui procurar um exemplar em um sebo e acabei encontrando um novinho para me deliciar com a leitura. E não me arrependi em momento algum.

Ler esse livro foi como saborear algodão doce! Leve, doce e que faz a gente sorrir de olhos fechados! De parecer que estamos flutuando.

Ele é escrito na forma de cartas, como um diário de Charlie, que ele escreve e as envia para alguém que ele não conhece. Nessas cartas, ele se abre, se expõe de uma maneira que podemos enxergar através de sua alma.

Charlie é um garoto solitário, sensível e está triste pois perdeu o seu melhor amigo. Ele tem uma visão muito complexa do mundo e das pessoas, tem uma linguagem quase poética e às vezes um pouco confusa. Ele também dá valor às coisas mais simples, que geralmente ninguém nota. A família não dá muita bola para ele. Cada um vive a sua vida, cuida de seus problemas e Charlie não tem com quem conversar realmente, a não ser a pessoa para quem ele escreve as cartas.

"Então, esta é minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim."

Ele gosta muito das aulas de inglês e desenvolve uma amizade muito bonita com Bill, o professor, que empresta livros clássicos da literatura para que ele possa ler e fazer um ensaio sobre o que leu.


Um dia, ele conhece Sam e o seu irmão Patrick. Logo de cara, Charlie já fica todo apaixonado por Sam. E aí ele passa boa parte do seu tempo se aventurando com esses dois irmãos. Ele conhece pessoas novas, faz novos amigos. Volta, de certa maneira, à vida, depois de tanta coisa ruim que lhe aconteceu.

"Eu me sinto infinito"

Charlie alterna muito entre a maturidade e a infantilidade durante o livro, é bem fácil de notar durante suas cartas. E tudo o que ele queria era ser um amigo de verdade, fazer com que as pessoas pudessem se sentir à vontade de ser o que elas são.

"Ele é invisível. (...) Você vê as coisas. Você guarda silêncio sobre elas. E você compreende." - Patrick, sobre Charlie

Li em apenas dois dias, me envolvi tanto com a história que mais parecia que eu estava ali, dentro do livro, vivenciando tudo na vida de Charlie! Me apeguei muito ao Charlie, ao Patrick e à Sam. Impossível não se apegar à relação linda de todos eles.

O livro é cheio de citações lindas! Foi até difícil escolher uma para colocar aqui no post. O livro que eu tenho é com a capa do filme. O único livro que eu fiz questão mesmo de ser com a capa assim, pois eu achei que esses três atores foram simplesmente perfeitos para os papéis, e é exatamente assim que eu os imaginei quando li.


Eu já assisti ao filme e me emocionei igual. Me senti apegada e leve. Recomendo super essa leitura e o filme!

"Então, se esta for a minha última carta, por favor, acredite que está tudo bem comigo, e mesmo quando não estiver, ficará bem logo depois. E eu acredito que seja assim com você também."

Quem mais ficou apaixonado no livro?

Um abraço.

Não se esqueça de seguir o blog!
:: FanPage :: Twitter ::
:: Skoob :: Goodreads :: Instagram :: Flickr :: LastFm ::
Um abraço
Bel VF 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!