sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Devaneios pelo ar... O livro que te escolhe?

Como é difícil falar de um (nesse caso três) livro que é simplesmente uma, se não a melhor coisa que você já leu na vida??? Eu já disse milhões de vezes aqui que simplesmente surto quando tento falar de uma leitura que eu gostei muito. parece que nenhuma palavra consegue captar o significado do livro pra mim e o que ele representa ou representou naquele momento.



E por incrível que pareça eu já tinha tentado ler A Sociedade do Anel umas duas vezes antes dessa e não consegui desenvolver a leitura, por isso que cada vez mais acredito que os livros tem momentos certos para serem lidos, é aquela coisa, você entra na livraria ou no sebo e o livro te escolhe, ai quando você leva ele pra casa se sente vencedor, pensa decidido que vai ler o livro no dia, na semana ou muito tempo depois do dia que comprou, depende da sua fila de leituras pendentes ou vontade, mas não, quem comanda isso é um ser misterioso, sabe-se lá se é o próprio livro, o tempo, o universo ou todas as outras coisas que conspiram pra que dê tudo errado, ou muito certo, durante aquelas primeiras páginas que definem se rolou um clima ou não, se o livro vai pra bolsa ou pra prateleira.

Já tentei tantas vezes fugir dessa "sistemática esquisita de escolha", mas não dá, comigo é assim tem que rolar um clima, tem que ter aquele desejo louco de virar as páginas pra descobrir a sequência, ou então aquela vontade de ler novamente aquela frase, ou um trecho e ás vezes o capítulo inteiro, se não tiver essa "mágica, esse clima", desisto, deixo o livro no canto dele e espero o momento que for melhor pra nós dois, seja em um ano ou dois, uma semana ou uma leitura depois.

Parece loucura?
Talvez, a única certeza é que é mania minha, de leitora ou como pessoa, dessas que acredita que cada coisa tem seu tempo.


;)

Fabí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!