quarta-feira, 12 de março de 2014

{Bel} Impressões de Leitura #48 ~ A Máquina do Tempo (H.G. Wells)

Título: A Máquina do Tempo
Título Original: The Time Machine
Autor: H.G. Wells
Editora: Alfaguara
Número de páginas: 148

Skoob :: Goodreads

Avaliação: 5 estrelas!

Sinopse: A Máquina do Tempo: a mais espantosa das invenções, capaz de levar seu criador a uma viagem surpreendente através de milhares de anos de transformações sobre a Terra. Novos seres ocupando a superfície e as entranhas do planeta, vivendo numa incrível civilização do futuro, onde a luta pela vida é implacável. O final dos tempos e a agonia do sistema solar com o colapso de nossa estrela, prestes a explodir.Uma história de aventura e emoções inimagináveis, esta obra também é uma reflexão sobre os valores de nossa sociedade e sobre o mundo que construímos hoje.


Eu decidi que vou ler mais ficção científica em 2014. É um gênero o qual não lia há anos e, pode não parecer, eu adoro. Já comecei o ano lendo “2001: Uma Odisseia no Espaço” e me empolguei demais. Em seguida, decidi experimentar H.G. Wells e não foi diferente!

Esse livro é um claro exemplo que demostra que a obra não precisa ter uma história longa e muitas páginas para ser bom. Em poucas páginas, Wells nos descreve, com uma riqueza imensa de detalhes, a experiência do Viajante do Tempo com sua recente construção, a Máquina do Tempo.

O livro é narrado por um dos intelectuais que frequentam a casa do Viajante. Ele relata o que ouviu do Viajante após voltar de sua viagem ao futuro. Portanto, as emoções do Viajante são descritas mais surperficialmente, captamos o carinho que ele sente por Weena através da descrição dos gestos dele com ela e, claro, os mais óbvios, como medo, cansaço e curiosidade. Entretanto, os sentimentos mais profundos ficam por conta da imaginação do leitor.

O livro se inicia com uma discussão entre o Viajante e os intelectuais que estão em sua casa. O assunto aborda a quarta dimensão e a possibilidade do ser humano se movimentar nesta, tanto para o passado, quanto para o futuro.

Ele mal finaliza sua máquina e já faz uma viagem para o futuro. E vai parar no ano de 802.701. Ele encontra um cenário paradisíaco, com muita natureza e habitado por um povo, os Elóis, que são todos muito parecidos entre si, são bem baixos e falam um idioma desconhecido.

Entretanto, eles não são a única espécie descendente do ser humano que habita o local. Há os Morlocks, que moram no subsolo, são totalmente adaptados à escuridão e à noite. Os Elóis tem muito medo dos Morlocks, pois são presas para eles.

Em determinado momento, a máquina do tempo desaparece e o Viajante embarca em uma busca incansável de seu invento para voltar para casa. Ele passa 8 dias no futuro e desenvolve uma relação de amizade com uma Elói, a Weena.

Ele encontra vestígios do passado da humanidade por aquela região. Museus, máquinas, produtos químicos e, também, conhece frutas e flores diferentes.

A narrativa do livro é muito bem conduzida e, mesmo que a história tenha sido narrada por uma pessoa que ouviu o relato do Viajante, a sua essência não foi perdida. E todos os conceitos e teorias que o Viajante usa como argumento para seu experimento são muito convincentes.

O espanto e a surpresa do Viajante diante do que a Terra se tornou após milhares de anos, foram muito bem expostos e, juntamente com as descrições fantásticas de Wells, o livro fica muito fácil de ser visualizado, muito fácil de entrar na história e sentir como estivesse em um planeta diferente.

Sempre ouvi falar do autor, do livro e do filme, mas eu sempre acabava por ficar na zona de conforto. E me surpreendi muito mesmo com a sua escrita, os assuntos abordados e já emendei a leitura de outro livro dele, logo em seguida. E estou adorando tanto quanto este.

O livro é bem curtinho, dá para ser lido em um dia apenas. E mesmo sendo curtinho, ele é detentor de uma riqueza sem igual. É de ficar impressionado diante do que Wells tinha em sua mente para escrever essas histórias, em finais do século 19.

Eu assisti ao filme logo em seguida. Eu assisti ao filme de 2002 e há muitas diferenças mesmo entre o livro e o filme. Enquanto o livro é mais voltado para a ciência, estudo da quarta dimensão e o que o mundo se tornou, o filme fica mais focado em mostrar que não podemos mudar nada do passado. É bem diferente mesmo. Há um romance que não há no livro. O filme é legal, mas o livro é muitíssimo melhor!



Não se esqueça de seguir o blog!
:: FanPage :: Twitter ::
:: Skoob :: Goodreads :: Instagram :: Flickr :: LastFm ::
Um abraço
Bel VF 

Um comentário:

  1. Ok....
    Mais o foco narrativo é em 3° ou 4° pessoa??

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!