domingo, 5 de outubro de 2014

{Fabí} 'Tá lido #57 - Cândido ou O otimismo, Voltaire

Editora: Abril
Páginas: 160
Avaliação pesssoal: 5 estrelas e favorito

Sinopse: Cândido foi publicado no início de 1759 sem indicação do nome do autor, obtendo imediatamente um sucesso prodigioso. Ninguém duvidou de que o autor fosse Voltaire. Naquele mesmo ano, mais de vinte edições saíram na França e várias traduções apareceram na Inglaterra e na Itália. Os governos tentaram em vão bloquear, ou pelo menos frear, a difusão do livro. Desde o título, as aventuras de Cândido são um testemunho contra o otimismo, particularmente o leibniziano do "melhor dos mundos possíveis", que tentava conciliar a crença na existência do mal e a crença na justiça divina



__________*******__________*******__________

Esse livro foi uma surpresa pra mim, já esperava uma coisa boa, mas o tipo de narrativa é cativante e me surpreendeu por ser tão acessível e dinâmico.As informações são dadas em ritmo frenético e as cenas passam muito rápido de um cenário pra outro.

As personagens são bem distintas entre si, mas se completam, como se cada personalidade fosse a faceta de um grande personalidade central. É como se a vaidade, o orgulho, a impulsividade, a falsa moralidade, o exploradas de maneira bem humorada e crítica, fosse facetas dessa grande personalidade

O livro conta a história de Cândido, um jovem inocente que vai passar por várias vicissitudes da vida sem perder o otimismo e a fé na humanidade. Ele é um idealista que busca sempre seus objetivos, por mais "pancadas" que ele leve da vida, ele segue em frente.
Mas o que mais cativou foi perceber que as escolhas de Cândido são fator fundamental, se não o principal, na definição do seu futuro e daqueles que lhe são queridos, porque normalmente nossas escolhas influenciam sim na vida das pessoas que fazem parte do nosso mundo. 
    
É impossível largar esse livro, tanto pela narração, no estilo novela de cavalaria, meio cômico, cheio de mudanças, como pelo próprio Cândido, que é muito cativante. Enquanto lia esse livro conseguia visualizar todas as cenas, elas acontecem em "flashs" e (pelo menos pra mim) esse livro foi muito visual, mesmo com uma narrativa curta ele mostra os fatos de forma coerente e as mudanças de cenário não interferem no entendimento da história.

Por mais que seja um livro de filosofia, escrito no século passado, possui uma linguagem relativamente fácil e uma narrativa gostosa de ler, acredito que seja um bom livro pra começar a ler filosofia.




Quem já leu esse livro, o que achou?

Até mais! ;)


(* Esse livro faz parte do The Rory Gilmore Reading Challange)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para compartilhar as suas opiniões e experiências!
Obrigada pela visita!